Notificar incidente

Equipa portuguesa conquista 10º lugar no European Cyber Security Challenge 2019

Num total de vinte equipas, a equipa portuguesa conquistou o 10º lugar, tendo sido a equipa escolhida para apresentar a solução do desafio de criptografia do primeiro dia da competição.

A sexta edição do European Cyber Security Challenge (ECSC), ocorreu entre os dias 9 e 11 de outubro em Bucareste, no Palácio do Parlamento, o segundo maior edifício do mundo. A equipa anfitriã, Roménia, foi a grande vencedora, seguindo-se a Itália e Áustria que mostraram sucesso em completar os mais avançados e complexos desafios de cibersegurança.

Este desafio reuniu cerca de 200 jovens talentos de 20 países (Estados-membros da UE e países da EFTA) onde provaram os seus conhecimentos em segurança web, segurança de dispositivos móveis, quebra-cabeças de criptografia, engenharia reversa e análise forense. Tiveram igualmente que fazer apresentações públicas a um júri composto por cinco especialistas demonstrando competências tais como trabalho de equipa e falar em público sob pressão do tempo.

Pela primeira vez neste desafio europeu, marcou presença uma equipa Portuguesa que se fez representar por 10 jovens talentos. O apuramento dos mesmos ocorreu na conferência anual C-Days 2019, realizada na Alfândega do Porto entre os dias 26 e 27 de junho de 2019. Aqui houve lugar para o Capture The Flag (CTF), uma iniciativa organizada conjuntamente pelo Centro Nacional de CiberSegurança, Instituto Superior Técnico e Universidade do Porto, sendo que contou com o apoio da AP2SI - Associação Portuguesa para a Promoção da Segurança da Informação.

Neste sentido, e tendo em conta a perceção de que vivemos num mundo em constante mudança onde jovens são a chave da inovação, a ENISA criou o evento European Cyber Security Challenge, com o propósito de incentivar precisamente os jovens a prosseguirem uma carreira na área de cibersegurança.
Este ano, com a participação de Portugal, Holanda, Irlanda e Luxemburgo, o evento comprovou estar a aumentar em tamanho e maturidade.

A cerimónia de abertura foi presidida por Alexandru Petrescu, Ministro romeno das Comunicações e da Sociedade da Informação, seguido do Chefe de Segurança Operacional, Demóstenes Ikonomou, o Chefe Operacional da Agência da UE para a cibersegurança, que referiu estarem empenhados em aumentar e melhorar o European Cyber Security Challenge.

No discurso que proferiu, mencionou igualmente que a edição deste ano foi a maior em termos de participantes e de organização. No final, agradeceu aos anfitriões romenos pelo esforço que deram de forma a dar vida ao evento, destacando o facto de o ECSC acontecer durante o Mês da cibersegurança - dedicado a consciencializar sobre esta temática, e que através do European Cyber Security Challenge,, se espera que o número de talentos seja maior, à medida que a concorrência amadurece na Europa.

Quem abriu a cerimónia de prémios e jantar de gala foi Martina Lindorfer que enfatizou: - "Os métodos de ensino, tais como CTFs – capture the flag, podem ajudar a atrair estudantes para esta área. É importante proporcionar incentivos para que os mesmos prossigam a sua educação, bem como uma carreira no meio académico evitando assim a fuga de cérebros que está a acontecer nesta e noutras áreas. Precisamos de ciência aberta que não seja controlada pelos gigantes da tecnologia.”

Com uma apresentação introdutória ao público sobre o tema "mulheres no ciberespaço" no contexto do ECSC, Martina Lindorfer, sendo um modelo feminino, reforça o ECSC como plataforma para incentivar as raparigas a participarem e a seguirem uma carreira no setor da cibersegurança.

Recorde-se que a equipa Portuguesa conquistou a décima posição (num total de vinte equipas) e foi escolhida, entre cinco melhores equipas, para apresentar a solução do desafio de criptografia do primeiro dia da competição.

No próximo ano, o desafio ECSC 2020 será organizado em Viena, Áustria, de 3 a 7 de novembro de 2020.